Hardcore e Punk no Brasil dos anos 80

Ao contrário da Europa e EUA, o Brasil não vivenciou uma explosão punk/new wave nos anos 70. Isso só foi ocorrer no início da década seguinte, já sob a influência do Hardcore. Inclusive, os Restos de Nada, a primeira banda punk do país, formada na Zona Norte de São Paulo no final de 1977, já apresentava no final dos anos 70 uma sonoridade mais áspera e veloz do que a do típico punk rock de 1977, como demonstram algumas dos raros registros da época.

O primeiro lançamento punk do país, a coletânea “Grito Suburbano”, lançada no início de 1982 traz as bandas Olho Seco, Inocentes e Cólera apresentando cada uma quatro músicas rápidas e agressivas, que não devem nada aos equivalentes no hemisfério norte. No entanto, o termo “Hardcore” ainda era pouco usado e, diz a lenda, que a primeira banda a adotar o rótulo foi o Ratos de Porão, a partir de 1983.

Cólera
GBH

Portanto, pode-se dizer que o Hardcore, de uma forma ou de outra foi quase desde o princípio a tendência dominante no punk brasileiro.

Em 1983, começou em São Paulo uma divisão entre a facção mais decidida e assumidamente Hardcore e os adeptos do punk rock dos anos 70, que continuavam se definindo apenas como punks. Algumas bandas que aderiram ao setor “hardcore” na altura foram Ratos de Porão, Olho Seco, Excomungados, Inocentes (brevemente, pois a banda logo acabaria, para voltar pouco depois com formação e som totalmente diferentes), Psykoze e pouco depois, alguns novos nomes como Ruidos Absurdos, SP CAOS, Lobotomia e Armagedom, além dos Skate Punks do Grinders, inspirados pelo hardcore californiano.

No Rio de Janeiro surgiam nomes como Desordeiros e Auschwitz, e em Brasília, A.R.D., Sansculottes – primeira banda de Rodolfo Abrantes, AxBax – primeira banda de Gabriel Thomaz, e DF-Caos – que mais tarde se tornaria o DFC. Esta nova turma “hardcore” se diferenciava da geração anterior (além do gosto musical), pelo visual mais carregado inspirado nas bandas inglesas e escandinavas, menor apego ao ganguismo e violência e, entre as bandas, pela temática freqüentemente abordando a guerra nuclear e temas mais “geopolíticos”, por assim dizer.

Outros estados brasileiros tiveram seus representantes no punk rock, sendo os mais famosos o Camisa de Vênus da Bahia e Os Replicantes no Rio Grande do Sul, esse mais engajado no sub-gênero Hard Core.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Hardcore_punk

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Escreva e pressione ENTER para pesquisar