Retrofuturismo de Bedhead Badhead aborda conflitos da juventude

Bedhead Badhead é uma banda de synthpop/synthwave com sonoridade característica dos anos 80. É constituída por Giovanna Bergamaschi no vocal, baixo de Gabriel Silva, Henrique Soldatti na batera, sintetista Pablo de Morais e Jay Whitaker na guitarra.

Começou suas atividades em 2018 e, de lá pra cá, lançou os singles Daydreams (2018), Pink (2020), Sick Sad World (2020), The Sound of Pleasure I Can’t Kill e Imprisoned Freedom (2021). Gêneros como o synthpop, synthwave, new wave e indie rock marcam a estética musical da banda, que já se apresentou em diversas cidades pelo estado de São Paulo, com passagem por festivais como Locomotiva e FEIA XX.

O EP “Retrofuturismo”, seu trabalho mais recente, lançado nesta última quinta-feira, dia 30 de setembro, tem como assunto principal os conflitos internos decorrentes do autoconhecimento e questionamentos na juventude, além de algumas referências cinematográficas – Super 8, faixa de abertura do EP, que remete ao filme de J. J. Abrams, e Your Name, que faz correlações com o anime de Makoto Shinkai. Ambos os filmes abordam temas relacionados à juventude, apesar de divergentes, o que ressalta a ecleticidade inserida na obra como um todo.

A temática de conflito está presente nas letras das canções e em sua sonoridade hodierna que é, ao mesmo tempo, oitentista, em trechos como: “I used to know your name / Now I don’t though”, na canção “Your Name” ou em “There are many types of me / And right now it’s a difficult one”, na canção “Delirium”. No mundo pós-pandêmico, temas como esse vêm à tona na vida dos compositores das canções devido à relação estabelecida entre as pessoas e a civilização contemporânea, o que afeta diretamente na relação das pessoas consigo mesmas ao intensificar os questionamentos naturais da juvenilidade. Ela marca uma fase da vida com uma vivência relativamente inesperada: ninguém imagina estar em meio a uma pandemia durante os tão esperados anos dourados.

A obra foi produzida pela própria banda em colaboração com o artista Rafouza. As canções foram compostas pelo quinteto e gravadas entre o estúdio da própria banda e o Lavanderia Estúdio, localizados na cidade de Campinas, de julho a agosto deste ano. Quem assina a maior parte das mixes e masters também é Rafouza. O artwork foi elaborado por Eduardo Soldatti, designer gráfico que já é responsável pela identidade visual da banda há algum tempo.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Escreva e pressione ENTER para pesquisar