Power trio gaúcho Crazy Carpes lança debut e aposta na diversidade sonora

O power trio gaúcho de Metal/Punk CRAZY CARPES acaba de lançar seu primeiro álbum, intitulado “Metal Tapes”, disponibilizado em todas as plataformas digitais no dia 25 de setembro.

Com doze faixas, o material entrega uma sonoridade que engloba diversas influências dentro do som pesado, e é resultado de cerca de décadas de atividades, iniciadas na já tão distante década de 1990.

A banda surgiu como CRAZY CARPES em 2019, porém, os integrantes tocam juntos há mais de 20 anos, em diferentes formações. Dessas bandas anteriores pouco se aproveitou, a não ser a experiência dos palcos. A banda manteve ao longo desse tempo um nível altíssimo de criatividade, agora exposta neste primeiro registro.

Se antes sua vida desregrada e hedonista fez com que sua musicalidade ficasse restrita apenas ao público presente em seus shows, nos quais o foco do grupo era sempre a diversão, com “Metal Tapes” as coisas mudaram para uma postura mais séria, mas sem perder a proposta inicial, que é justamente a diversão.

“Metal Tapes” nasceu de um insight que a banda teve: construir um estúdio próprio e gravar suas músicas sem pressão. Desta forma, os irmãos Marcelo Carpes (guitarra/vocal), Maurício Carpes (bateria) e Alex Osterkamp (baixo) puderam explorar todo seu talento e criatividade, agora tudo devidamente registrado, criado pelas próprias mãos e utilizando um método totalmente “old school”, trabalhando de forma analógica e masterizado em fita de rolo, resultando em doze faixas intensas, curtas, rápidas e complexas. A banda conta que muitas músicas haviam sido compostas há anos atrás, mas de uma forma rudimentar e desconexa. O baterista Maurício Carpes contou mais detalhes: “A pandemia impulsionou a construção do estúdio, que impulsionou as gravações, a montagem das músicas e o surgimento do estilo e da personalidade. A reflexão sobre si mesmo, como banda, foi determinante e, acredito, que isso veio da introspecção e do inconsciente coletivo que tomou conta de todos no isolamento social, onde o nosso papel no mundo e a morte passaram a ter destaque no diálogo íntimo de todos”.

Dentre as principais influências do grupo estão nomes que vão desde o Punk Rock, de bandas como Sex Pistols e Ramones, passando pelo Thrash do Sepultura e Metallica e das guitarras de Slash. Há também influências de grunge, como Alice In Chains e Pearl Jam. Alguns guitarristas também deixaram sua marca no som da banda, como Yngwie MalmsteenJoey Perry (Aerosmith) e Angus Young. Nas melodias, destacam-se influências como David BowieGuns N’ RosesKraftwerk e Led Zeppelin. As composições têm baterias marcantes que são resultado de estudos de tempos e ritmos criados por Maurício Carpes.

Serviço

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Escreva e pressione ENTER para pesquisar