Atemiz marca retorno com o lançamento do 4º disco, “Tipo GPS”

A espera acabou! A banda gaúcha Atemiz lança nesta sexta-feira (3) o quarto disco de estúdio, ‘Tipo GPS’, um típico pop punk que marcou o final da primeira década dos anos 2000.

Ouça o álbum completo: https://onerpm.link/591653511543.

O novo álbum, que surgiu em meio às reuniões dos membros da banda ao longo da pandemia, conta com 10 faixas, duas delas os singles ‘Nuvens’ e ‘Embarque’.

Tipo GPS

Em Tipo GPS, Guto, Nick e Gui trazem temáticas que abordam a motivação, o amadurecer e relacionamentos, fazendo referências do pop rock, punk, pop punk e muito do emo/hardcore melódico de bandas brasileiras como Fresno (até o Revanche), NX Zero, Hateen, Forfun e CPM 22 e também da banda europeia Neck Deep.




O vocalista da banda, Guto Gaelzer, conta como foi o processo de criação das faixas do novo álbum.

“Foi à distância. Gravávamos ideias e trechos e enviávamos por e-mail, e foi gravado entre 2020 e 2022. Todas as musicas tiveram contribuições dos três membros. A gente trabalhou em cerca de 13 demos que viraram 10 músicas pro disco. Também temos demos acústicas que podem ser lançadas durante o ano”, explica o vocalista.

Músicos como Bruno Lamas (baterias em Me Sinto Só e Nuvens), Gaba Wozniak (bateria nas demais faixas) e Henrique Lopez (guitarras e baixos adicionais) marcam presença no disco com participações especiais.

Produção

Dividindo a produção do disco com Henrique Harris Lopez, Gui Wildner (guitarrista) fala que as novas tecnologias contribuíram com o processo de construção do álbum, que tem elementos eletrônicos e que a produção musical coincidiu com um momento em que ele passou a se interessar mais pelo assunto.

“Quando começamos a fazer o disco eu estava me interessando e consumindo muito conteúdo de produção musical. A parte de composição continua do mesmo jeito, a gente pega um violão e a gente começa a trabalhar naquilo. A diferença é que agora a gente pode jogar no computador, gravar uma guitarra base, programar uma bateria, e aí conseguimos dar uma construída melhor, para ter uma visão do que a música pode vir a ser. Depois que a gente tem isso aí estruturado, começa a parte de fazer a música crescer, colocar um detalhezinho em uma parte específica da música, para tornar ela mais especial, mais interessante. E é uma coisa que a gente sempre gostou de usar, elementos eletrônicos, com sintetizador, mas a gente não fazia tanto. Mas acho que nesse álbum a gente conseguiu fazer bem e muito bem feito”, conta o guitarrista.

Banda Atemiz

Criada em 2010, Atemiz é formada por Guto Gaelzer (vocal e guitarra), Nick Motta (vocais e baixo) e Gui Wildner (guitarra) e, agora, tem quatro discos de estúdio.

“Somos antigos na cena, viemos de outras bandas até formar a Atemiz em 2010, mas nossa fase mais ativa foi de 2010 a 2015 quando fazíamos turnês, aparições na mídia. Em 2018 apenas fizemos um show de reunião e lançamos o disco. Na verdade, eu, o Nick e o Gui já estávamos conversando desde 2015, sobre fazer um disco completo, só com músicas inéditas e finalmente deu certo. Esperamos que vocês curtam muito o nosso som”, declara o vocalista Guto Gaelzer.