Curadoria Musical: A ascensão de profissionais na era do streaming

A música sempre teve um papel fundamental na cultura brasileira, e ao longo das décadas, a seleção e apresentação ao público passaram por notável evolução. Desde os anos 60, quando se identificou a necessidade de um curador para obras nas artes visuais, a figura do curador expandiu-se para várias áreas, incluindo a música.

Durante essa expansão, a curadoria musical era predominantemente associada a gravadoras, emissoras de TV e grandes festivais como Rock in Rio e Humaitá Pra Peixe. Este último, fundado em 1994 por Bruno Levinson, revelou novos talentos da música brasileira sob uma curadoria visionária.

Contudo, com os avanços tecnológicos na era do streaming e o crescimento do empreendedorismo independente, a curadoria musical encontra novas perspectivas. Agora, com a força do streaming e a facilidade na criação de espaços de divulgação nas redes sociais, a curadoria musical torna-se cada vez mais crucial. Empresas e plataformas especializadas em curadoria musical, por exemplo, criaram portais que conectam artistas independentes a curadores de playlists, rádios, sites, redes sociais, festivais e selos.

Segundo a Pro-Música, no primeiro semestre de 2023, o setor musical brasileiro registrou um faturamento expressivo de R$ 1,2 bilhão, sendo que 99,2% desse montante provêm das receitas geradas pelo streaming. Os serviços de streaming simplificaram o acesso e a descoberta de músicas, mas a curadoria, realizada por humanos e algoritmos, desempenha um papel crucial ao filtrar, selecionar e orientar a experiência de consumo, tornando-se uma estratégia eficaz para lidar com a abundância de conteúdo disponível.




O novo mercado de curadoria no Brasil expande-se de selos independentes a redes sociais de divulgação. O papel do curador torna-se cada vez mais relevante nas diferentes mídias, indo além das grandes gravadoras. Empreendimentos como o Divulguei desempenham um papel crucial na configuração deste momento histórico, superando a contradição anteriormente existente, onde o cargo de curador estava limitado a grandes corporações elitizadas.

As plataformas de curadoria musical são um verdadeiro hub que conectam artistas independentes a curadores de rádios, blogs, playlists, influenciadores, festivais e selos. Os artistas pagam um valor acessível pela curadoria, aquecendo o mercado e proporcionando uma oportunidade de renda para os curadores, frequentemente os próprios donos dessas mídias.

Esse cenário atual demonstra uma multiplicidade de iniciativas que transcendem barreiras, criando novas demandas e oportunidades. Curadores independentes, donos de sites, blogs, playlists e até selos musicais desempenham um papel crucial na diversidade artística e no sucesso dos diferentes nichos musicais brasileiros. O mercado de curadoria musical está em ascensão, impulsionando a cena independente e promovendo uma variedade de vozes na rica tapeçaria musical do Brasil.



Neder de Paula

Neder de Paula

CEO e fundador do portal OverRocks e web rádio. Designer, webdesigner, videomaker, apaixonado pela família, quadrinhos, cinema, tv, UCM, DCU, metalhead desde os 12 anos e curador musical na Divulguei e Groover.