Whiplash retorna ao Brasil para show único em São Paulo

Referência do thrash metal, a banda americana Whiplash retornará ao Brasil para um show único agendado para o dia 19 de maio na Jai Club, em São Paulo (SP). O evento, que terá início a partir das 18h, contará ainda com a presença da banda colombiana Perpetual Warfare e das brasileiras Cemitério, Blasthrash, Nuclear Frost e Cranial Crusher.Criado na cidade de Passaic em 1984, o Whiplash estreou com o clássico “Power And Pain” (1986), seguido por outra referência do thrash, “Ticket To Mayhem” (1987), ambos gravados por Tony Portaro (vocal e guitarra), o saudoso Tony Bono (baixo) e Tony Scaglione (bateria). Já em “Insult To Injury” (1989), o grupo passou a ser um quarteto com a entrada do vocalista Glenn Hansen e a chegada de Joe Cangelosi no posto de Scaglione. A formação atual em trio traz o fundador Tony Portaro, Dank DeLong (baixo) e Ron Lipnicki (bateria, ex-Overkill, Hades e outras).

Além dos clássicos, a discografia do Whiplash ainda conta com “Cult of One” (1996), “Sit Stand Kneel Prey” (1997), “Thrashback” (1998) e “Unborn Again” (2009). “Quando lançamos ‘Power and Pain’ não percebemos o impacto que teria na cena do thrash metal. Estávamos apenas fazendo o que queríamos, mas nunca percebemos o quão popular e influente era ‘Power and Pain’. Mesmo depois que lançamos ‘Ticket To Mayhem’ e ‘Insult To Injury’, eles não tiveram o mesmo impacto que ‘Power and Pain’ teve”, comentou Portaro ao Metal Insider sobre o impacto do debut, que o trio ainda destaca tocando nos shows faixas como “Stage Dive”, “Last Man Alive”, “Power Thrashing Death” e “Spit on Your Grave”.

Criado em 2006 na cidade de Bogotá (COL), o Perpetual Warfare, formado por Camilo Muñoz (vocal e guitarra), Wilson Muñoz (baixo) e Esteban Diaz (bateria) fará a sua estreia em solo brasileiro. O trio conta com os álbuns full “Justicia, libertad y decadencia” (2010), “The Age of War” (2013) e “Earthliens” (2018), além do EP “Hellhounds” (2019) e diversos singles em sua discografia.

Já a experiente banda paulistana de d-beat/crust/metal Nuclear Frost, formada por Gabi Crust Force (vocal), F(e)j(a)o (guitarra), Nilson Slaughter (baixo) e Huevo (bateria), conta com os álbuns full “Nuclear Winter Gloom” (2011) e “Anti-Christ/Anti-Nazi” (2012), além de vários singles, splits e o EP “Nuclear Frost” (2014) em sua discografia. O quarteto, que está trabalhando em novas composições para o novo full e um split com o Skarnio, aborda em suas letras temas antiguerra, críticas sobre sociedade cristã e capitalista. Em suas turnês, o grupo passou por várias cidades do Brasil e realizou uma turnê europeia em 2014.

Formado em São Bernardo do Campo (SP) em 2010, o Cranial Crusher, formado por Renan Stoiani (vocal e baixo), Lucas Aímola (guitarra) e Guilherme “Fruto” Fructuoso (bateria), vem se destacando no cenário underground com um thrash metal mesclado a elementos de várias vertentes da música extrema, desde o heavy metal ao crust punk. Atualmente o grupo promove o álbum full “Ciclo da Degradação” (2023) e sua discografia ainda traz “Cranial Attack” (split com Cerberus Attack, 2014), “Necrópole” (EP, 2016) e “Putrefakt” (EP, 2018). Trabalhando com uma temática de protesto contra vários problemas sociais do Brasil em suas letras, o Cranial Crusher vem fazendo shows brutais em vários estados do Brasil, já tendo dividido o palco com Necromancia, Ação Direta, Bandanos, Violator e Krisiun.




O Cemitério vem destilando seu death metal old school desde 2014, no melhor estilo Flórida dos anos 80. As letras basicamente narram filmes clássicos de terror, os riffs cortantes e as letras 100% em português deram à banda, formada por Hugo Golon (vocal e baixo), Douglas Maciel (guitarra) e Guilherme Souza (bateria), a autenticidade necessária para que se destacasse em um momento de plena efervescência do metal extremo pelo mundo. Em sua discografia, o grupo conta com o álbum “Cemitério” (2014), “Oãixac Odéz” (EP, 2016), além do single “Massacre no Texas” (2019) e “Conspiração Subterrânea” (Split K7, 2021). O Cemitério promete abrir seus portões novamente em 2023 e este evento será uma prova de sua força.

O Blasthrash conta com Dario Viola (vocal), Diego Rocha e Jhon França (guitarras), Diego Nogueira (baixo) e Rafael Sampaio (bateria), músicos que têm como principal objetivo a composição e execução de músicas que reflitam suas influências musicais: thrash metal. O grupo paulistano iniciou sua trajetória em 1998 e conta em sua discografia com os álbuns “No Traces Left Behind” (2005), “Violence Just for Fun” (2008), “Ratomaniax” (Tributo ao RDP, 2013), “Metal das Ruas Vol. 3” (Split com Bandanos, 2014), “Slaughters in the Antipodes” (Split com Fastkill, 2015) e o single “Fake New” (2019). O grupo, que atualmente se encontra em processo de composição para o terceiro full, sempre se destaca em seus shows e já dividiu o palco com grandes nomes do cenário mundial como Tankard, Overkill, Assassin, Onslaught, Ratos de Porão, D.F.C., Toxic Holocaust, Vader, entre outros.

 

Serviço:
Atrações: Whiplash (EUA), Perpetual Warfare (COL), Cemitério, Blasthrash, Nuclear Frost e Cranial Crusher
Data: 19 de maio
Horário: a partir das 18h
Local: Jai Club
Endereço: Rua Vergueiro, 2676 – Vila Mariana, São Paulo – SP, 04102-000
Ingressos on line: https://www.clubedoingresso.com/evento/whiplash-sp
Realização: Caveira Velha Produções