Disney perde direitos autorais sobre o personagem Mickey Mouse em 2024

Ícone da Disney, Mickey Mouse será liberado para uso público em 2024, marcando o fim de uma era de exclusividade

Em um anúncio que ecoará pelos corredores da cultura pop, o lendário Mickey Mouse, o ratinho mais icônico da Walt Disney, está prestes a entrar em domínio público nos Estados Unidos. A notícia revela que, a partir de 2024, qualquer pessoa ou marca poderá utilizar a imagem do personagem, lançado pela primeira vez no curta-metragem “Steamboat Willie” em 1928, sem a necessidade de obter licença para tal.

A decisão é baseada na legislação de propriedade intelectual dos Estados Unidos, que determina que personagens e obras artísticas deixam de ser exclusivas após 95 anos de sua criação. Uma regra que se estabeleceu em 1995, ampliando o período anterior de 70 anos.

Vale ressaltar que a liberação refere-se exclusivamente à versão inicial de Mickey, tal como apareceu no curta-metragem em preto e branco. A Walt Disney Company enfatiza que continuará protegendo os direitos sobre as versões modernas e repaginações do personagem, assim como outras obras ainda sob direitos autorais.




O curta-metragem “Steamboat Willie” não é apenas uma peça fundamental na história do Mickey Mouse, mas também um marco na animação, sendo o primeiro a utilizar som sincronizado. Esse avanço técnico contribuiu para a consagração do ratinho como uma das figuras mais reconhecíveis no cinema e na televisão.

Ao longo dos anos, Mickey Mouse passou por diversas transformações em sua aparência física e personalidade, mas mesmo com a entrada em domínio público da versão original, a Disney assegura que o impacto e a autenticidade associados ao personagem permanecerão intactos.

“A perda da exclusividade se aplica a um modelo muito inicial do desenho animado, reproduzido em preto e branco e sem voz. Continuaremos a preservar e proteger as versões mais modernas do Mickey, que desempenham um papel fundamental como embaixador global da Walt Disney Company em narrativas, atrações de parques temáticos e produtos”, declara a empresa à agência de notícias Associated Press.

A decisão levanta questões sobre os desafios enfrentados pelas empresas na era digital, onde a propriedade intelectual pode ser ameaçada de diversas formas. A Disney destaca que, mesmo com a mudança no status de Mickey Mouse, estratégias como o estabelecimento de marcas comerciais registradas continuam sendo vitais para proteger a propriedade intelectual no cenário contemporâneo.

Com a iminente entrada de Mickey Mouse em domínio público, os fãs aguardam para ver como a cultura pop incorporará o ícone em novas criações e manifestações artísticas. O rato simpático que encantou gerações ainda terá muito a contribuir para a imaginação e criatividade, mesmo enquanto sua imagem clássica abre as portas para novas interpretações e expressões no universo do entretenimento.



Neder de Paula

Neder de Paula

CEO e fundador do portal OverRocks e web rádio. Designer, webdesigner, videomaker, apaixonado pela família, quadrinhos, cinema, tv, UCM, DCU, metalhead desde os 12 anos e curador musical na Divulguei e Groover.