David Sue lança “Crazy Mary” em crítica contundente ao machismo e a violência contra a mulher

Lançada no Dia Internacional da Mulher, “Crazy Mary”, a nova música de David Sue, faz uma crítica contundente ao machismo, revelando como os homens frequentemente oprimem e desrespeitam os direitos e a dignidade das mulheres.

A canção narra a história de Mary, uma mulher assombrada pela insônia decorrente de um abuso sexual sofrido na infância. Seu silêncio é uma reflexão dolorosa da desconfiança e do descrédito frequentemente enfrentados pelas mulheres quando denunciam violências dessa natureza em uma sociedade predominantemente patriarcal. Ao focalizar a perspectiva do machismo em sua composição, David Sue não busca falar pelos sentimentos das mulheres, mas sim destacar as injustiças e os desafios que elas enfrentam em um mundo desigual.

“Como não sou mulher, não faria sentido algum eu tentar dizer como elas se sentem, então resolvi trazer o foco para a perspectiva do machismo, por ser algo tão presente na mentalidade e na criação de nós homens”, comentou David Sue.

Atenção: Esta música aborda temas sensíveis relacionados à violência contra a mulher e pode causar gatilhos emocionais. Por favor, esteja ciente disso ao prosseguir.




“A letra é uma crítica explícita ao machismo, ressaltando que os homens odeiam Mary por terem inveja de seu espírito livre e independente”, destaca David Sue.

Este lançamento não é apenas uma música, é um chamado à reflexão dos homens sobre as desigualdades de gênero e à necessidade urgente de mudança em nossas estruturas sociais e culturais.

“Crazy Mary” é o quarto single de uma sequência de lançamentos que David Sue vem promovendo desde seu disco de estreia, “Goodbye to Pariah”, de 2022. A composição, voz e arte de capa são do próprio David Sue, com instrumental, gravação e produção de Fabiano Negri. As fotos promocionais são de Ana Luísa Cuelbas.

Ouça “Crazy Mary” abaixo:

A história pessoal de David Sue, marcada por desafios e superações, acrescenta uma camada adicional de profundidade e autenticidade à sua obra, conectando-se com aqueles que encontram na música um refúgio para suas próprias lutas e dores.

Matheus Cuelbas de Moura nasceu em 18 de fevereiro de 2000. O músico teve seu primeiro contato com um instrumento musical aos 7 anos. Desde então a música tornou-se seu refúgio para lidar com o autismo, a depressão e a bipolaridade. Com o passar do tempo, com mais maturidade pessoal e profissional e com o apoio de pessoas mais experientes ao seu redor, decidiu recomeçar sua carreira, a iniciar pelo nome artístico. Valendo-se do primeiro nome de David Bowie e do último nome de Selah Sue, surgiu David Sue, uma combinação do clássico e o contemporâneo, da ousadia e da originalidade. Toda sua trajetória de altos e baixos, dramas e dores, resultou em “Goodbye to Pariah”, o primeiro álbum completo de estúdio de David Sue, produzido por Fabiano Negri, disponível em todas as plataformas de streaming e também na versão física.

Conheça mais sobre o artista e acompanhe todos os seus lançamentos através do @mr.davidsue no Instagram.

Importante: Se você ou alguma mulher que você conhece está enfrentando uma situação de violência, é crucial agir. Denunciar é um passo essencial para interromper o ciclo de abuso e proteger vidas. No Brasil, o canal 180 é um serviço gratuito e confidencial, disponível 24 horas por dia, que oferece apoio e orientação às vítimas de violência. Além disso, as delegacias especializadas, os Centros de Referência da Mulher e outras instituições de assistência social podem ser acionados para fornecer ajuda e encaminhamento adequado. Denunciar é contribuir para a construção de uma sociedade mais justa e segura para todas as mulheres.